7 benefícios incríveis da pimenta e receitas práticas para incluí-la na sua alimentação

Malagueta, Dedo-de-moça, Biquinho… São tantas opções, e difícil é encontrar alguém que não se renda a pelo menos um tipo de pimenta! Com sabor marcante, algumas mais ou menos ardidas, as pimentas são aposta certa na hora de dar um toque especial aos mais variados pratos, por isso, comumente utilizadas na culinária.

Mas, além disso: você sabia que a pimenta pode ser uma aliada da boa saúde, ajudando na digestão, no bom funcionamento do sistema circulatório, no processo de emagrecimento, entre outras vantagens?

Porém, de forma geral, para usufruir dos benefícios das pimentas, a melhor forma de consumo é a pimenta fresca – assim, todos os nutrientes são mantidos. As versões de molho, conservas, geleia, entre outras, são interessantes do ponto de vista culinário, mas normalmente perdem parte dos nutrientes.

Ou seja, se a ideia é obter mais benefícios à saúde com o consumo de pimenta, dê preferência à versão fresca, e a inclua na sua alimentação diária (não adianta comer só de vez em quando, né?) ou, preferencialmente, de acordo com as orientações de um nutricionista.

Mas, se o objetivo principal é dar mais sabor aos seus pratos, use a criatividade e prove os variados tipos de pimenta (lembrando sempre que algumas são bem picantes)!

Abaixo, saiba mais sobre os benefícios que este importante fruto pode oferecer à saúde e também confira como utilizá-lo em diferentes receitas!

7 benefícios associados ao consumo de pimentas

Foto: Getty Images

Clarissa Fujiwara, nutricionista na Clínica Dra. Denise Lellis, e Mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP), coordenadora de Nutrição da Liga de Obesidade Infantil do HC-FMUSP, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) e da American Society for Nutrition (ASN), explica que os benefícios da pimenta mais extensivamente estudados concernem à ação termogênica.

“Ou seja, a pimenta eleva a temperatura corporal e o gasto de energia, em decorrência de uma substância ativa denominada capsaicina – responsável pela peculiar pungência”, diz. “Outros exemplos de alimentos com atividade termogênica consistem na canela, gengibre, açafrão, guaraná e chá verde e mate”, acrescenta Clarissa.

Resumidamente, podem ser destacadas como principais vantagens do consumo da pimenta, de acordo com a nutricionista:

1. Ajuda no emagrecimento: Clarissa explica que justamente devido ao efeito termogênico e ao aumento do metabolismo, as pimentas podem ser aliadas no processo de emagrecimento. “Isso é, sempre junto à alimentação equilibrada, ao controle do consumo calórico, à prática de exercícios físicos e ao sono de qualidade, para um processo de emagrecimento efetivo e sustentável”, diz.

2. Inibição do apetite: Adicionalmente, explica Clarissa, estudos experimentais sugerem que a pimenta pode inibir em parte o apetite, e contribuir, assim, para menor ingestão alimentar, devido à ação em áreas de regulação deste comportamento no sistema nervoso simpático.

3. Melhora do sistema circulatório: de acordo com Clarissa, a pimenta pode beneficiar o sistema circulatório, pela menor formação de placas obstrutivas nos vasos sanguíneos, e ação antitrombótica em virtude da diminuição da agregação plaquetária, auxiliando assim no controle dos níveis de pressão arterial.

4. Melhora na saúde cardiovascular: “há algumas evidências de que a pimenta exerça um papel adjuvante na redução do nível de LDL-colesterol no sangue, contribuindo também para uma melhor saúde cardiovascular”, diz Clarissa.

5. Melhor digestão: há evidências de que as pimentas podem estimular a secreção e liberação de enzimas digestivas, melhorando o processo de digestão, conforme destaca Clarissa.

6. Poder antioxidante: Clarissa lembra que as pimentas consistem em boa fonte de vitamina C – importante antioxidante, neutralizando os radicais livres instáveis que podem causar danos ao organismo e o envelhecimento.

7. Proteção contra o câncer: “alguns estudos sugerem que a capsaicina associada à presença de compostos antioxidantes, bem como a vitamina C e carotenoides (responsáveis pela coloração avermelhada), possam estar relacionados à indução da apoptose de células tumorais e, portanto, relacionadas com menor risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer”, diz Clarissa.

Os tipos de pimenta e suas singularidades

Foto: Getty Images

Abaixo você conhece um pouco mais sobre os tipos de pimenta mais comumente encontrados no país. “Ressalta-se que, quanto mais picante a pimenta, maior o teor de capsaicina presente”, diz Clarissa.

A nutricionista explica ainda que está incluída na descrição abaixo, como referência, a Escala de Scoville (ou “Scoville Heat Units”, SHU em inglês), utilizada para medir o nível de pungência em pimentas, que podem variar desde 0 até mais de 1 milhão para as pimentas mais picantes do mundo. “A título de curiosidade, a pimenta considerada mais picante do mundo é a pimenta americana chamada Carolina Reaper com cerca de 2.200.000 SHU)”, diz.

Pimenta Malagueta 🌶🌶🌶🌶🌶

É uma das mais ardidas dentre as mais conhecidas e utilizadas no Brasil, conforma destaca Clarissa. “Possui forma alongada e, quando madura, passa da coloração verde para avermelhada”, diz.

“Esse tipo de pimenta é utilizado principalmente para consumo fresco e no preparo de conservas, e está presente especialmente na culinária regional baiana, harmonizando com pratos como feijoada, acarajé e moqueca”, acrescenta a nutricionista.

Possui entre 60.000 a 100.000 SHU.

Pimenta Dedo-de-Moça 🌶🌶🌶🌶

Uma das mais populares no país, é consumida em diversas formas desde fresca, em conserva ou, ainda, desidratada e triturada – denominada de pimenta calabresa. “Harmoniza com frutos do mar, aves e carnes vermelhas”, destaca Clarissa.

Possui entre 5.000 a 15.000 SHU.

Pimenta Biquinho 🌶

Apresenta formato arredondado que se estreita em direção à ponta. “É bastante cultivada na região do Triângulo Mineiro em Minas Gerais, sendo muito consumida na forma de conserva. A quantidade de capsaicina é bastante baixa resultando em sabor suave e aromático, por isso é considerada uma pimenta ‘doce’ e é comumente empregada em molhos, peixes e carnes”, explica Clarissa.

Possui cerca de 1.000 SHU.

Pimenta Jalapeño 🌶🌶🌶

“Originária do México, é aromática e tem ardência mediana. Suculenta, pode ser consumida crua quando verde, recheada ou servida fresca em saladas, e é consumida em forma de molho, conserva e desidratada quando vermelha. É muito utilizada na culinária mexicana, em pratos como nachos, tacos e burritos”, explica Clarissa.

“Quando seca e defumada, é denominada de chipotle. Possui entre 2.500 a 5.000 SHU”, acrescenta a nutricionista.

Pimenta Caiena 🌶🌶🌶🌶

Clarissa explica que ela constitui uma mistura de pimentas vermelhas secas (malagueta, dedo-de-moça e chifre-de-veado), e é muito empregada na culinária mexicana e tailandesa, sendo bastante picante.

“Costuma ser usada na preparação de picles e molhos. Esse tipo de pimenta é um bom auxiliar na regulação da pressão sanguínea”, acrescenta a nutricionista.

Pimenta Tabasco 🌶🌶🌶🌶

Originária do México, possui forma alongada e apresenta sabor picante. “É utilizada na forma de molho e, fresca, é utilizada no preparo de carnes e peixes. Possui entre 30.000 a 50.000 SHU”, diz Clarissa.

Pimenta Cambuci 🌶

É chamada também de chapéu-de-bispo ou chapéu-de-frade, e possui formato de sino. “Passa da coloração verde à vermelha quando madura. Apresenta sabor adocicado e pouca pungência. É utilizada em pratos salgados variados e saladas. Possui entre 100 e 500 SHU”, explica Clarissa.

10 receitas práticas com pimenta para provar e amar

Foto: Getty Images

Gosta de pimenta, mas não tem muita ideia de como incluí-la na sua alimentação?! Confira algumas receitas deliciosas!

1. Geleia de pimenta: receita que prova que fazer geleia de pimenta em casa é fácil e muito barato. Essa geleia combina demais com queijos, mas também vai bem com carnes e pães, sem falar que sempre faz sucesso numa mesa de frios.

2. Molho de pimenta para feijoada: feijoada já é um prato bastante apreciado, né? Então imagina quando ganha um delicioso molhinho feito com pimenta, o próprio caldo da feijoada, cebola, tomate e cebolinha!

3. Peixe com vinagrete de cachaça e pimenta biquinho: um petisco “com cara de praia”. Você precisará de pescada amarela, farinho de milho flocada, farinha de trigo, ovo, sal, pimenta e óleo para fritar.

4. Pimenta recheada com queijo: um aperitivo diferente e muito saboroso para quem adora pimenta. Você usará pimenta dedo-de-moça, queijos ralados, água, leite, margarina, farinha de trigo, sal, pimenta-do-reino, ovo e farinha de rosca.

5. Pimenta recheada com carne seca e cream cheese: além dos ingredientes principais, você usará cebola, alho, salsinha, sal, ovo, farinha de trigo e farinha de rosca. A pimenta utilizada na receita é a dedo-de-moça.

6. Guacamole: a guacamole original é feita com chilli, uma pimenta vermelha não tão fácil de encontrar no Brasil. Nesta receita, porém, é utilizada a pimenta dedo-de-moça. E, além de fazer guacamole de um jeito simples, fácil e rápido, você vai aprender a conservar o abacate amassado ou a guacamole na geladeira sem escurecer. Dica simples e valiosa!

7. Purê de damasco com pimenta vermelha e gengibre: uma receita elegante e saborosa, ideal para acompanhar carne de porco, peixes ou aves. Além dos ingredientes principais, você usará água, azeite extravirgem, cebola e sal.

8. Risoto de queijo brie e pimenta biquinho: além da facilidade e da praticidade, um bom risoto pode ser servido como prato único e, dependendo da ocasião, dispensa acompanhamentos. Essa combinação de pimenta biquinho e queijo brie fica bem suave e muito saborosa. Uma receita perfeita para o final de semana!

9. Trufa de chocolate com pimenta: uma trufa de sabor intenso, marcante e bem apimentada. Você só precisa de três ingredientes para fazê-la, que são chocolate meio amargo, creme de leite fresco e pimenta caiena.

10. Trufa de morango com pimenta rosa: a combinação pode parecer incomum, mas, a pimenta rosa perfuma a trufa e ajuda a quebrar o doce do chocolate branco com morango, proporcionando um toque final picante.

As receitas são de dar água na boca, né? Assim não fica difícil consumir um pouquinho de pimenta diariamente!

Contraindicações da pimenta

As pessoas devem se atentar ao fato de que o consumo excessivo de pimenta pode gerar intolerância frente a distúrbios gastrointestinais. As pimentas são ainda contraindicadas em indivíduos que apresentem gastrite e úlceras, conforme destaca Clarissa.

“Quantidades moderadas de pimentas podem gerar irritação e inflamação do endotélio e piora do quadro em indivíduos que apresentem hemorroidas. E vale ressaltar que o consumo exagerado de pimentas – sobretudo in natura – pode causar queimaduras ou bolhas na mucosa oral (boca), náusea e vômito”, finaliza a nutricionista.

Porém, vale lembrar: se consumida em quantidades adequadas, dentro de uma alimentação equilibrada, a pimenta pode ser uma boa aliada, inclusive no emagrecimento. Converse com seu nutricionista e saiba como incluí-la na sua dieta!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s